Em 2012 as Olimpíadas serão realizadas na cidade de Londres que pela terceira vez sedia os jogos. A identidade visual dos jogos, o cartaz que reproduzimos acima ao lado com o de Pequim não agradou a crítica e ainda há setores da mídia que apostam numa reviravolta, a possibilidade de uma outra logomarca para os jogos, o que não parece razoável a esta altura dos acontecimentos.

A marca foi criada por um estúdio londrino, o Wolff Olins, ao preço de 600 mil euros. A idéia era representar em quatro pilares (acesso, participação, estímulo e inspiração) os objetivos da cidade sede dos jogos, daí a figura geométrica que para nos brasileiros lembra a marca da Kibon desajeitada e que, repare se você já não reparou, representa o ano 2012. As cores são modernas, quatro versões disponíveis em laranja, rosa, azul e verde. Cores dinâmicas, segundo os criadores, um novo jeito de ver os jogos Olímpicos. Será? O fato é que se a mídia condenou a marca (O Daily Mail perguntou se o logo era o trabalho de um chimpanzé com grafite ou um quebra-cabeças infantil) a classe médica também deu sua pitada.

A suspeita de que a marca em movimento provoca ataques de epilepsia fotossensível foi considerada pelos organizadores dos jogos que já admitem mudar a animação para a TV. Se a marca é boa ou não é um julgamento subjetivo, mas a ênfase do Comitê Olímpico e do estúdio contratado em explicar o seu significado, é no mínimo controversa. O que muito se explica…

Fonte imagem: http://www.london2012.com/

Fonte: Almanaque da Comunicação

Publicado em: 11/08/2008
Enviado por: Karen Milena

Anúncios